Saltar para o conteúdo

Alento #3

03/10/2008

Photobucket

SOPRO

Seja ou não verdade que aprenderam com Zalmoxis os saberes pitagóricos e órficos, o certo é que a colheita do visco, o fabrico das mágicas poções e dos unguentos fermentados com o amparo dos óleos e das manteigas essenciais apenas constituíam parte dos segredos dos druidas.
Os ínclitos relatos das façanhas praticadas por Mog Ruith, provavelmente o mais célebre de todos os druidas da Irlanda, não permitem grandes dúvidas: Mog Ruith dominava os inimigos com o sopro, e sabia usá-lo de forma a despertar em seu benefício as forças mais inumanas da natureza.

(…)
Para muitas das tribos da Europa, como noutras partes do mundo, o sopro e a palavra sempre foram duas faces do mesmo: apoiam-se mutuamente, socorrem-se um do outro.
Porque, quando circula no interior do corpo, o sopro entra em sintonia com o movimento dos fluidos e dos humores e comunica-lhes a força vital. E, quando circula no exterior, a linguagem faz o mesmo junto das coisas do universo. Atribui-lhes ordenação e sentido.

in Alento – Danças Ocultas

textos de Jorge P. Pires
fotos de Duarte Belo
© Assírio & Alvim 2003

Anúncios
2 comentários leave one →
  1. 04/10/2008 3:59 pm

    O Blogue dos Manteigas de visita a este espaço 🙂
    Abraços da Serra da Estrela
    http://bloteigas.blogspot.com/

  2. Joana Lima permalink
    08/10/2008 12:02 pm

    Olá.
    Já tenho saudades de vos ouvir!! Para quando um novo disco!?
    Saudações.
    Joana

Deixe uma Resposta para Rotiv Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: